quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Na Gazeta do Povo de hoje, em Notas Políticas

“A atuação da Câmara Municipal de Curitiba não está causando nenhuma surpresa. Aliás, o andamento da carruagem está exatamente como esperado: lento, inoperante, tumultuado e inócuo. Todas as ‘ações’ da Câmara para o caso [João Cláudio] Derosso foram um jogo de cartas marcadas e cortina de fumaça para desviar o foco do fato principal.”

Renata Bueno, vereadora (PPS), criticando a condução das investigações sobre as denúncias de irregularidades em contratos de publicidade da Câmara de Curitiba, que envolvem o presidente licenciado da Casa, João Cláudio Derosso (PSDB)

CLIQUE AQUI para acessar a coluna Notas Políticas

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Quem não deve, não teme. E a justiça será feita


A atuação da Câmara Municipal de Curitiba não está causando nenhuma surpresa. Aliás, o andamento da carruagem está exatamente como esperado: lento, inoperante, tumultuado e inócuo. Todas as “ações” da Câmara para o caso Derosso foram um jogo de cartas marcadas e cortina de fumaça para desviar o foco do fato principal.
A convocação para meu depoimento na CPI é de caso pensado, justamente para criar um embaraço de quem realmente deve ser investigado. Nesse sentido sempre atuei desde o início.
A proposta da comissão processante, que poderia ter resultado na cassação do ex-presidente Derosso, não obteve êxito e após esse fato foi impetrado mandado de segurança na Justiça pedindo o seu afastamento e recentemente ação popular contra ele, as agências de publicidade e o município.
O Derosso tornou-se um caso para a Justiça, pois está muito claro que internamente já está decidido. Nada acontecerá. Minha atuação como parlamentar, de fiscalizar e denunciar atos de ilicitude e imoralidade, está salva de qualquer contaminação, pois cumpri tudo o que me coube sem exitar e estarei firme a atuante até o final.
A mafia Derosso, embora poderosa, atua no anonimato – bem típico de mafioso – pois um suposto Caixa Dois de minha campanha de 2008 apareceu agora. Uma verdadeira tentativa frustrada de fabricação de documentos – o que certamente será desvendado pelo Ministério Público, pois o caminho correto é esse, para que juntamente com o Tribunal Regional Eleitoral tome as medidas cabíveis.
Afirmo isso porque quem não deve, não teme. Tenho a certeza da lisura da prestação de contas da minha campanha e por isso acho necessário que tudo seja esclarecido.
Para finalizar, enfatizo que nos últimos tempos, embora no limite da deselegância, emiti opiniões fortes e firmes e não retiro nenhuma palavra do que disse e reafirmo todas elas, por isso, sigo certa que a Justiça será feita.

LOA: cinco emendas de Renata Bueno será votada hoje em plenário


            Será votado hoje, 14, no plenário da Câmara de Curitiba as cinco emendas da Lei do Orçamento Anual (LOA) da vereadora Renata Bueno que proporciona à população de Curitiba muita cultura e educação.


R$ 30 mil para a 5a Quadra Cultural

Em 2012, o evento será realizado em 25 de fevereiro, agitando mais uma vez a Rua Paula Gomes. A Quadra Cultural é uma iniciativa do empresário Arlindo Ventura, proprietário do OTorto Bar. Ventura objetiva levar a arte à comunidade, sempre com a preocupação de oferecer uma estrutura confiável e uma programação variada e rica em cultura.

           
 R$ 100 mil para a 1a Gibicon

            O evento internacional de história em quadrinhos, na edição 0 – a piloto – realizada em julho deste ano, ocupou diversos espaços da capital paranaense com minicursos, oficinas, palestras, debates e muitos convidados da área. O sucesso foi comprovado e por esse motivo a vereadora destinou mais uma vez benefícios orçamentários.


 R$ 100 mil para a criação do Centro Digital de Arte

            O centro será desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e tem o objetivo de transmitir à população o ato da criação de uma arte. Com a utilização de uma tecnologia avançada no espaço, os cidadãos terão a oportunidade de observar passo a passo a criação do artista em tempo real.





R$ 90 mil para a capacitação de profissionais para projetos do 3o setor


  e



R$ 200 mil para uma festa comemorativa dos 150 anos de unificação da Itália. 


Na RPC, vereadora explica porque não foi à CPI do Derosso

Vereadora Renata Bueno explica à população porque não compareceu ontem, 13, para depor na CPI do Derosso.

CLIQUE AQUI para assistir

Nota da Vereadora

Não fui depor ontem na CPI porque não vou fazer parte dessa palhaçada! Tudo o que tenho a dizer sobre a máfia Derosso falo para a sociedade. Precisamos ter consciência de que a CPI é mais um palco teatral e nada foi ou será feito! O Derosso já é um caso da Justiça. Espero que a minha ausência no depoimento chame a atenção para a inércia e ineficência da CMC.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Coordenação Nacional de Mulheres do PPS apresentou moção de apoio à Renata Bueno

A vereadora Renata Bueno recebeu uma moção de apoio da Coordenação Nacional de Mulheres do PPS, durante o 17o Congresso Nacional d o PPS – realizado no último final de semana em São Paulo. O PPS Mulher entende que um parlamentar tem de ser livre para atuar, sem retaliações, em defesa da sociedade. Compreende-se ainda que as retaliações se intensificam, pois a vereadora é jovem, mulher e sempre aparelhada de fundamentações técnicas e jurídicas.

A  Coordenação Nacional de Mulheres vem apresentar moção de apoio à Vereadora Renata Bueno em função dos acontecimentos políticos na Cidade de Curitiba/PR.
A Vereadora Renata Bueno tem sido combativa em relação as denuncias contra o Presidente da Câmara Municipal de Curitiba, o qual está no poder há mais de quinze anos. Nos últimos meses a Vereadora Renata Bueno vem sofrendo retaliações e ataques pessoais constantemente, o que deve ser absolutamente rechaçado por esse partido. As retaliações se intensificam como tentativa de intimidação, pelo fato da Vereadora ser jovem, mulher e sempre estar absolutamente aparelhada de fundamentações técnicas e jurídicas. 
Os fatos que consubstanciam as denúncias são da mais alta gravidade, pois o presidente da Câmara Municipal de Curitiba permitiu que funcionária da CMC – sua esposa – participasse de processo licitatório, a qual foi vitoriosa em um contrato de publicidade, cujo o valor soma mais  de 30.000.000,00 (trinta milhões de reais), sendo que a maior parte desse valor foi utilizado pela  empresa de publicidade para a  promoção pessoal do presidente da Câmara Municipal.
Após as denuncias ocorridas no mês de julho a Vereadora Renata Bueno propôs a criação de comissão processante na CMC para a cassação do presidente, a qual foi rejeitada. Logo após, a Vereadora ingressou com ações na Justiça para a garantia de um processo justo e punitivo.  Desde então, a Vereadora Renata Bueno vem sofrendo retaliações injuriosas por assumir uma postura ética, balizada pela justiça, proteção do patrimônio público e da sociedade curitibana.
Por esses motivos se faz imperiosa a moção de apoio do PPS, através da Coordenação Nacional de Mulheres para que juntos possamos enfrentar a corrupção instalada nesse país, pois é de conhecimento de todos que fatos como esses ocorrem cotidianamente e vários Municípios desse país. No entanto é fundamental o apoio e exemplo do PPS nesse caso, para que seja possível a liberdade de parlamentares atuarem livremente nas denúncias e em defesa da sociedade.

Nota da Vereadora

Ontem, 11, em São Paulo, participei da reunião do Conselho Curador da FAP (Fundação Astrojildo Pereira). Durante o Congresso Nacional do PPS, foi determinado que o partido será responsável por nomear a diretoria da fundação nos próximos anos. Apresentei aos participantes uma prestação de contas das atividades que realizamos aqui na capital paranaense, como os seminários e palestras que beneficiam a população de Curitiba. 

sábado, 10 de dezembro de 2011

Resolução Política: Congresso do PPS aprova candidatura própria a presidente em 2014


O lançamento de candidatura própria a presidente da República em 2014 é um dos principais pontos da resolução política aprovada neste sábado pelo XVII Congresso Nacional do PPS, que acontece até domingo em São Paulo. O partido quer levar seu programa à nação, diz o documento. O PPS já participou das eleições presidenciais em 1989, com Roberto Freire (ainda no PCB), e 1998 e 2002, com Ciro Gomes. Em todas essas oportunidades colaborou para o aprofundamento das discussões em torno dos problemas do país. O PPS anunciou ainda que vai lançar candidaturas a prefeito nas principais cidades brasileiras. A legenda já conta com pré-candidatos em 20 capitais. (CLIQUE AQUI para ver a íntegra da resolução)
O partido vem se renovando, afirma o texto, através da mais ampla democracia interna, do planejamento estratégico e de novas ferramentas tecnológicas. Está se dedicando a temas relacionados à sustentabilidade e à ética, aos gêneros, à juventude, aos direitos humanos e ao poder local. Por outro lado, assinala o documento, o PPS incorpora novos quadros políticos às suas organizações. Quadros esses que constituem hoje a grande maioria de todas as direções, de suas bancadas parlamentares e de vereadores, prefeitos e secretários de governo.

Partido das reformas

A resolução defende a reforma democrática do Estado como centro de sua estratégia reformista. Esta compreende uma reforma política com a adoção de sistema eleitoral misto, financiamento público de campanha, com contribuições de pessoas físicas; reforma administrativa, que objetive maior eficiência, moralidade, que leve o Estado mais à população, menos às oligarquias.   
Outra reforma que o partido considera imprescindível é a tributária, acompanhada de uma renovação negociada do pacto federativo. A previdenciária também faz parte do leque de mudanças que o partido defende. Entre as medidas contidas nessa reforma está a isonomia entre servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada.
Já a reforma trabalhista, conforme defende o partido, consistiria na repactuação dos direitos previstos na legislação e a extensão aos trabalhadores  terceirizados.
Além da mudança na política de desenvolvimento regional, com a criação de mais agências de fomento para as regiões, o PPS defende melhorias no SUS (Sistema Único de Saúde). Quer, ainda, a reforma urbana, para que se possa dar aos cidadãos condições de vida mais decentes. A reforma financeira também está elencada no documento. O partido defende que o sistema financeiro seja rigidamente regulado, junto com iniciativas globais; advoga, ainda, o fomento a bancos populares.

Identidade

A sociedade não distingue o PPS como um novo rosto, admite a proposta de resolução. O texto acentua que as atividades do partido estão restritas aos trabalhos parlamentares e de representantes no Poder Executivo. Fora da atividade parlamentar e de governo, salienta o documento, pequena é a ação política cotidiana do partido junto à sociedade. Por isso, o documento defende uma maior participação dos militantes do partido nos movimentos sociais e entidades representativa.
O documento defende ainda mudanças no estatuto com o intuito de ampliar a democratização do partido, por meio da dinamização e regularização da capacidade política e operacional das comissões dirigentes; assegurar práticas de direção coletiva em todas as instâncias; fortalecer os diretórios; divulgar a informação política, organizacional e financeira em tempo real para prestação de contas e a difundir, no meio dos filiados, os instrumentos de formação política.

Sustentabilidade

O partido afirmou seu compromisso com a sustentabilidade. Ponderou, na resoluçao, que os riscos da exploração sem limites dos recursos naturais tornam-se mais claros e mais próximos a cada dia. Para o PPS, uma radical alteração na matriz energética, de transporte, habitacional, da produção agrícola, assim como um novo padrão de consumo na direção de uma economia não dependente de carbono está em curso e deve ser valorizada. Essa mudança, assinala o  texto, tem reflexo imediato nas formas de produção, com limitações severas aos agentes produtivos, regulação dos mercados e fiscalização crescente do cidadão. O PPS garante que seu compromisso com um desenvolvimento que dê esteio a esse processo.
A nova economia global o Brasil tem vantagens competitivas extraordinárias, diz a declaração  "Os ativos e a biodiversidade, florestas, recursos hídricos e minerais valiosos, dentre outros, permitem ao país uma inserção diferenciada e mais competitiva. Não como exportadores de commodities, e sim um arranjo produtivo com maior valor agregado, num modelo equilibrado que exigirá investimentos exponenciais em educação, pesquisa e tecnologia".
Para o PPS, a idéia de privilegiar a todo custo o crescimento do PIB, não medindo os seus impactos negativos, não faz parte do programa do PPS. O crescimento e a riqueza só fazem sentido se não deixarem atrás de si um passivo de destruição da natureza como, aliás, vem ocorrendo em países como a China. E se também não se sustentar em salários miseráveis pagos a brasileiros ou a trabalhadores estrangeiros que acorrem ao nosso país.

(Via Assessoria PPS)

Vereadora compõe mesa como pré-candidata à prefeitura de Curitiba


Na abertura do 17o  Congresso Nacional do PPS, em São Paulo, a vereadora Renata Bueno compôs a mesa como pré-candidata à prefeitura de Curitiba. Na cerimônia, o partido mostrou que a oposição no Brasil está ativa, com força, e preparada para enfrentar o PT e seus aliados na eleição de 2014. Maior exemplo disso foi a presença de três ex-candidatos a presidente da República na mesa de abertura do evento: Roberto Freire (PPS), José Serra (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB). Os três fizeram duras críticas ao esquema de corrupção instalado no governo e a incompetência dos petistas para administrar o país. (CLIQUE AQUI para conferir cobertura completa do evento)

O congresso do PPS, que acontece no hotel Bourbon Convention Ibirapuera, discute neste sábado uma resolução política que vai marcar a atuação da legenda nos próximos dois anos. Também vai discutir o lançamento de candidatura própria à Presidência da República em 2014. No domingo, os 328 delegados de todo o país elegem a nova direção do partido.

Agenda em São Paulo:
- Na última quarta-feira, Renata Bueno participou do Congresso Nacional da JPS (Juventude Popular Socialista). Na ocasião, falou sobre a política de Curitiba e a importância em formar cidadãos para o futuro.
- Neste sábado, a vereadora participou da reunião da comissão para alteração do estatuto do PPS
- No domingo, Renata participou da reunião do conselho curador da FAP (Fundação Astrojildo Pereira), tendo em vista que o estatuto do PPS determinou que o partido será responsável por nomear a diretoria da fundação. Na ocasião, a vereadora também prestou contas das atividades realizadas na capital paranaense. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Vereadora participará do 17o Congresso Nacional do PPS


A vereadora Renata Bueno participará do 17o Congresso Nacional do PPS, que será realizado nos dias 9, 10 e 11. Na ocasião, terá o lançamento de candidato próprio a presidente da República nas eleições de 2014. O assunto será um dos principais temas do congresso, que reunirá 328 delegados de todo o país no hotel Bourbon Convention Ibirapuera, em São Paulo (programação abaixo). 

O presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), afirma que o lançamento de um candidato próprio pode atrair uma grande parcela da sociedade que não está satisfeita com a polarização política entre PT e PSDB. “Isso poderia dar até numa via alternativa ao que está aí colocado: Dilma versus Aécio. Quem sabe uma via alternativa, de esquerda e com respeito ao meio ambiente?”, sugere Freire, que no último ano conseguiu atrair para o PPS várias lideranças políticas que saíram do PV junto com a ex-senadora Marina Silva. 


Se o Congresso aprovar a candidatura própria, será a quarta vez que o PPS entrará na disputa pela presidência da República. Em 1989, ainda pelo PCB, o partido disputou o Planalto com Roberto Freire. Já em 1998 e 2002 lançou Ciro Gomes. Em todas as oportunidades a legenda cresceu após a disputa. A proposta de candidatura própria já foi aprovada em diversos congressos estaduais, que são as instâncias preparatórias para o evento nacional. 


Nova direção, programa e convidados 


O 17o  Congresso Nacional do PPS também vai eleger a nova direção da sigla, definir seu novo programa, reformar o estatuto da legenda e aprovar várias teses partidárias para os próximos anos. O evento também vai homenagear diversos dirigentes e militantes do partido, entre eles alguns falecidos no último ano, como o ex-presidente da Repúlbica Itamar Franco.

Lideranças políticas de outras legendas e de partidos do exterior também participarão do congresso. Na abertura, que acontece na noite do dia 9 de dezembro, já estão confirmadas a presença do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB); do atual governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB); do líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira; do líder do DEM, deputado ACM Neto; do deputado Chico Alencar (PSOL-RJ); do ex-deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) e do secretário da Comissão de Relações Exteriores do parlamento mexicano e conselheiro nacional de política exterior do Partido da Revolução Democrática (PRD) do México, deputado Cuauhtémoc Sandoval Ramírez.  


PROGRAMAÇÃO

SEXTA-FEIRA (09/12/2011)


16 horas - CREDENCIAMENTO

20 horas - ABERTURA SOLENE
- documentário, convidados, homenagens

SÁBADO (10/12/2011)


- PLENÁRIO


09 horas – Abertura dos debates sobre o Documento Congressual

13 horas – ALMOÇO
14 horas – continuação dos debates e apresentação de moções
17 horas – Discussão e  aprovação da proposta de alteração do Estatuto 
18 horas - Redação final do Documento do XVII Congresso (Carta de São Paulo)

DOMINGO (11/12/2011)


- PLENÁRIO

09 horas - Relatórios dos Grupos de Trabalho (Teses)

10 horas - Eleição do Diretório Nacional
12 horas - ENCERRAMENTO

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

À CBN, Renata Bueno diz que "dossiê anônimo não merece crédito" e que é necessário "acabar com a banda podre da política"

A vereadora Renata Bueno falou em entrevista hoje, 6, à rádio CBN, sobre o dossiê anônimo que alguns vereadores receberam. Na conversa, Renata fala sobre as retaliações que sofre na Câmara de Curitiba e diz que vai enfrentar até o fim para acabar com a "banda podre da política" que se instala no legislativo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

“Violência em Curitiba aumenta a cada dia. Isso já se tornou um costume”, diz Renata Bueno em vídeo


A vereadora Renata Bueno, em seu canal no You Tube, retrata o quadro de violência em Curitiba como algo que “aumenta a cada dia” , tornando-se costume na vida do curitibano. Renata relembra um posicionamento do governador do Estado, Beto Richa, que, enquanto era prefeito, “dizia que não era competência do municipal e, sim, do estadual [a questão de segurança pública]”.

            No vídeo, além da segurança pública, a vereadora cita mais dois temas de prioridade para serem solucionados na capital paranaense: a questão de mobilidade urbana e sustentabilidade.  

            Assista!

Acontece, agora, em plenário a votação da Lei Orgânica Municipal

A vereadora Renata Bueno, relatora da Comissão de Lei Orgânica de Curitiba, participa neste momento da reunião que votará o projeto e emendas de cidadãos e da sociedade civil organizada –  apresentadas durante audiência pública realizada no mês de novembro. 

Lei Orgânica

Após dois anos de trabalho, 14 vereadores que compuseram a Comissão Especial para Estudo e Reforma da Lei Orgânica revisaram 70% dos 215 artigos da LOM. Foram realizados alterações, ajustes e atualizações no texto original, que promovem simetria com a Constituição Federal, indicando novos rumos para o calendário orçamentário de Curitiba, a redução do recesso parlamentar, medidas antinepotismo e vedação de reeleição para cargos da Mesa Diretora do Legislativo. Todos os partidos políticos eleitos para a atual legislatura participaram do processo que agora será votado. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Vereadora participa de comemoração aos 128 anos da Associação Giuseppe Garibaldi


A vereadora Renata Bueno participou nesta sexta-feira, 2, do jantar comemorativo do 128o aniversário da Associação Giuseppe Garibaldi. O evento, além de lembrar a realização da mais importante obra dos imigrantes italianos do final do século XIX (quando se chamava Società di di Beneficenza fra gli Italiani dimoranti nel Paraná e era escola e local de festas, encontros e eventos da comunidade imigrante), aproveita para celebrar o "Momento Itália Brasil".

Na ocasião, o presidente da entidade, Walter Antônio Petruzziello, apresentou um novo calendário de eventos e ações sociais e culturais da entidade. A comemoração contou com a presença do cantor Luciano Bruno, que fez um show após o jantar.

No mesmo dia, Renata também prestigiou o jantar do Sinjutra (Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho).

Meu respeito e solidariedade à comunidade italiana

Expresso minha solidariedade à comunidade italiana pela descortesia de alguns vereadores, cometida por ocasião da visita de representantes da Universidade de Roma Tor Vergata ao plenário da Câmara Municipal de Curitiba. A delegação italiana, que veio a Curitiba em cumprimento ao acordo de cooperação e intercâmbio com a Universidade Federal do Paraná, certamente compreendeu que o comportamento dos vereadores não expressa, em absoluto, o sentimento do povo de Curitiba e do Paraná, onde, aliás, se abrigam milhares de italianos e seus descendentes, orgulhosos de compartilhar o mesmo respeito e admiração que o povo e a nação italiana dedicam ao Brasil e aos brasileiros.

Vereadora condecora Rosala Garzuze

      Na noite de ontem, 1, a vereadora Renata Bueno homenageou com a Medalha de Mérito Fernando Amaro o poeta, professor e médico Rosala Garzuze. A cerimônia foi realizada no plenário da Câmara de Curitiba e quem recebeu a condecoração foi o seu neto, Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra.

Medalha do Mérito Fernando Amaro

É uma distinção honorífica literária concedida pela Câmara Municipal de Curitiba para as pessoas que se destacaram na área da literatura e poesia.

Um pouco sobre Garzuze

(via Gazeta do Povo)

            Rosala Garzuze era natural do Líbano e veio com a família para o Brasil quando tinha 3 anos de idade. O pai, Assef Jorge, se fixou no bairro do Portão onde, na visão dos populares, a forte presença de mascates libaneses constituía uma espécie de “República dos Turcos”. Em­­bora vivesse em meio a comerciantes e viajantes, Garzuze escolheu os estudos e se tornou um leitor refinado.
Estudante do então Ginásio Paranaense – atual Colégio Estadual do Paraná – teve nos anos 20 seu primeiro encontro com o professor Dario Vellozo. Conforme contou o próprio Rosala, o estudioso não percebeu. “Era orador, filósofo, contista... Meu inspirador. Mas nem me notou na sala de aula. Fui um menino muito tímido”, lembra. Mas fatalmente haveria ali um “encontro marcado”. Atraído pela oportunidade de folhear uma enciclopédia de Diderot e D’Alembert, que havia na biblioteca do Templo das Musas, Rosala tomou o bonde e bateu na porta da casa onde vivia Dario, na Vila Isabel. Fez-se frequentador do local e em 1932 se casou com Carmen, uma das filhas do mestre.
Médico de formação – tendo se aposentado como professor de Anatomia no curso de Medicina da UFPR –, Rosala Garzuze era, sobretudo, “um interessado”, como gostava de se definir. O Instituto Neopitagórico, cuja filosofia entrelaça os diversos campos do conhecimento, procurando nexos entre eles, lhe serviu como uma luva. À frente do grupo, estudou das ciências exatas à literatura, passando pela Cosmologia, a Ética ou o que mais o desafiasse.
        

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Nota do PPS de Curitiba: Os vereadores que envergonham Curitiba

O PPS de Curitiba realizou reunião nesta quarta-feira (30) para debater assuntos ligados à capital. Ao avaliar como está a conjuntura da Câmara Municipal, lideranças e militantes decidiram aprovar a seguinte nota: 

Os vereadores que envergonham Curitiba

O PPS de Curitiba decidiu em reunião realizada nesta quarta-feira (30 de novembro) repudiar o comportamento de alguns vereadores que destrataram visitantes italianos em plenário. A convite da vereadora Renata Bueno, diretores da Universidade de Roma Tor Vergata estiveram na Câmara para apresentar novas oportunidades de bolsas de estudos entre a instituição e a Universidade Federal do Paraná (UFPR). 

Como noticiado pelo jornal Gazeta do Povo, em 30 de novembro de 2011, “quando as italianas foram convidadas a se juntar à mesa diretora, Algaci Tulio (PMDB) deu um berro dizendo ‘o que essas italianas estão fazendo aqui na Câmara?’ O presidente licenciado João Cláudio Derosso (PSDB) emendou: ‘Vieram entregar pizza?’ Outros, berravam ‘tutti buona gente’ aos convidados. Tito Zeglin (PDT) chegou a interromper um discurso do vereador Paulo Salamuni (PV) dizendo ‘gentalhas e gentalhas’. 

O PPS de Curitiba entende que o legislativo municipal não deve ser palco de ataques pessoais, prezando pelo debate político de alto nível. Ao destratar a delegação italiana, entende-se que os vereadores da base aliada do presidente licenciado não percebem a importância que a comunidade italiana tem em Curitiba, tanto na formação de sua cultura, como de sua história, tendo em vista que a capital abriga grande parte dos italianos do país. 

Por ter uma bancada na Câmara (formada pelos vereadores Renata Bueno e Zé Maria), o PPS de Curitiba sente-se constrangido pela atitude dos vereadores e ainda entende que estes deveriam pedir desculpas à comunidade italiana.

Para atingir a vereadora Renata Bueno, alguns parlamentares acabaram agredindo um povo que ofereceu grandes contribuições à nossa cidade. Tal atitude só demonstrou à população de Curitiba como está o nível de alguns representantes, que apesar de permanecerem há muito tempo no parlamento, ainda não aprenderam o suficiente sobre a prática da boa política.

Em vídeo, vereadora informa a possibilidade de bolsas de estudos em Roma


No seu canal de vídeos no You Tube, a vereadora Renata Bueno informa Curitiba que a população terá oportunidade de se profissionalizar na Universidade de Roma Tor Vergata. São bolsas de estudos que fazem parte do convênio firmado em fevereiro deste ano entre a instituição italiana e a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Justiça condena Derosso pela primeira vez em razão das denúncias da Câmara

Saiu a primeira decisão que condenou o presidente licenciado da Câmara Municipal de Curitiba, vereador João Cláudio Derosso, a respeito dos escândalos que a casa legislativa foi alvo. A sentença foi do juiz Marcos Vinicius da Rocha Loures Demchuk da 5ª Vara da Fazenda Pública, Falências e Recuperação Judicial e exige que o condenado pague R$ 25.500,00 de multa em razão do atraso no fornecimento de documentos ao deputado federal Rubens Bueno.  “Concedo a segurança, confirmando a liminar, assim como as multas aplicadas ao longo do trâmite processual em desfavor da pessoa do impetrado. Excluo o município de Curitiba do polo passivo da presente demanda”, registra a sentença. 

Documentos

Após se negar a fornecer a documentação ao deputado Rubens Bueno, o vereador João Cláudio Derosso atendeu a ordem judicial e enviou caixas com todas as cópias de contratos, recibos, notas fiscais e aditivos referentes às transações da Câmara Municipal com veículos de comunicação desde 2006. Toda a documentação está sendo analisada pela vereadora Renata Bueno, que já confirmou diversos indícios de irregularidades. Os documentos enviados pelo presidente licenciado da câmara embasaram a ação popular da vereadora.  
(via Assessoria de Imprensa PPS do Paraná)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Delegação italiana visita a Câmara de Curitiba

Vereador Valdemir Soares, vereador Celso Torquato, Paola Sinibladi (professora de Medicina), Marina Tesauro (dirigente do departamento de Relações Internacionais), Claudia Fiorani (departamento de Relações Internacionais), vereadora Renata Bueno, vereador Tico Kuzma
Acompanhadas da vereadora Renata Bueno, a delegação da Universidade de Roma Tor Vergata esteve a pouco no plenário da Câmara de Vereadores. Na ocasião, apresentaram aos parlamentares o convênio entre a Tor Vergata e a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a possibilidade de bolsas de estudos.

Renata Bueno participa do programa 'Conversa com a Fonte', da ÓTV

CLIQUE AQUI para assistir
A edição 30 do programa Conversa com a Fonte, da ÓTV, coloca em discussão as denúncias contra o vereador João Claudio Derosso, que recentemente se afastou do cargo de presidente da Câmara devido à pressão, inclusive do ministério público. Para debater o assunto Herivelto Oliveira recebe o cientista político Emerson Cervi. Além dele Renata Bueno, vereadora pelo PPS, Sabino Pícolo, vereador pelo DEM e a jornalista Carolina Wolf também participam da conversa. 

Blog Esmael Morais: Renata Bueno diz que governador abandonou a Segurança em Curitiba

A vereadora Renata Bueno manifestou preocupação em relação à segurança de Curitiba na reunião do PPS desta segunda-feira (28 de novembro). A parlamentar afirmou que recebeu diversas reclamações de pessoas que foram vítimas da violência no último fim de semana.
Ela citou o caso do vereador Aldemir Manfron, em que a casa foi assaltada, da vereadora Julieta Reis, que teve o carro furtado e de uma assessora parlamentar, que também perdeu o veículo para os ladrões. A vereadora cobrou medidas do governo estadual.
“Só neste fim de semana tomei conhecimento de diversas reclamações de pessoas próximas. Quando era prefeito, o Beto Richa afirmou que a área da segurança é de competência do estado. Agora ele é governador e esperamos a reestruturação da segurança. Enquanto o Derosso afundou a Câmara Municipal em denúncias, a violência aumenta”, disse a vereadora.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Renata Bueno acompanha delegação da Universidade de Roma


Nesta segunda-feira, 28, a vereadora Renata Bueno (PPS) acompanha a delegação da Universidade de Roma Tor Vergata – em italiano, Università degli Studi di Roma Tor Vergata. Neste ano, a instituição italiana firmou convênio com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), e vieram até Curitiba para oferecer bolsas de estudos aos alunos.
            Estão presentes: Marina Tesauro, dirigente do departamento de Relações Internacionais; Claudia Fiorani, do departamento de Relações Internacionais; e professora Paola Sinibladi, do curso de Medicina. Hoje pela tarde, acompanhados da vereadora, eles se reuniram com o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho.

Convênio entre Tor Vergata e UFPR

Renata Bueno foi quem articulou o convênio entre a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade de Roma Tor Vergata. A parceria visa a troca de experiências e bibliografias produzidas pelas universidades e o intercâmbio de alunos e professores. O convênio das universidades foi assinado em fevereiro deste ano, na Itália, pelos reitores Zaki Akel Sobrinho (UFPR) e Renato Lauro (Tor Vergata).

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Nota da Vereadora

Ontem, 23, a CPI que escutou Derosso demonstrou claramente a proteção que o presidente tem nesta Casa de Leis. Em vez de o questionarem sobre os contratos de publicidade, desviavam o foco e o elogiavam pela atuação durante os 15 anos na presidência do legislativo municipal.
A Câmara de Curitiba está uma vergonha. A população, cada vez mais, está sendo enganada pela banda podre que aqui se instala! Precisamos de rápidas mudanças e medidas decisivas para acabar com todo esse teatro.
Todos nós já estamos cansados de tanto "blá blá blá" e pouco resultado!
Conto com o apoio de vocês para construirmos uma sociedade mais justa e humana.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Vereadora debate na 21a Conferência dos Advogados


Amanhã, 23, às 16h, a vereadora Renata Bueno debaterá o tema ‘Transparência e Controle do Estado’ na 21a Conferência dos Advogados, que acontecerá nas dependências da OAB-PR – Asa 3, sala 4.
            Além de Renata, debatem o tema o presidente da Comissão de Gestão Pública da OAB-PR, Rodrigo Pironti; o secretário geral da OAB-PR, Juliano Breda; o procurador geral do Estado do Paraná, Julio Cezar Zem Cardozo; a procuradora geral do município de Curitiba, Claudine Camargo Bettes; e o advogado da Advocacia Geral da União Marcus Bittencourt.

No Paraná TV, vereadora fala sobre seu pedido de cassação de Derosso

Hoje, 22, na primeira edição do jornal Paraná TV, da RPC, a vereadora Renata Bueno explica o que consiste a ação popular, que será distribuída na Justiça amanhã, 23. Ela pede a cassação de mandato de Derosso, o bloqueio de bens e a devolução do dinheiro público ao erário. 
Confira AQUI a reportagem completa. 

Renata Bueno pede cassação do mandato de Derosso


            Hoje, 22, em entrevista coletiva concedida na sede do diretório estadual do PPS, a vereadora Renata Bueno revelou que vai entrar amanhã, 23, com uma ação popular contra o presidente da Câmara Municipal, vereador João Cláudio Derosso, pedindo o bloqueio de bens, a devolução do dinheiro público gasto indevidamente ao erário e a cassação do mandato. Ela alega que o presidente, que foi afastado do cargo nesta segunda-feira, 21, utilizou recursos públicos para promoção pessoal.
Após ordem judicial, o PPS recebeu cópia de toda a documentação dos contratos da Câmara e uma análise minuciosa – das mais de nove mil páginas –, realizada por Renata e sua equipe, comprovou uma série de irregularidades em notas fiscais e publicações.
“O pedido de afastamento do presidente foi um passo à frente, mas não é o suficiente. Pelo menos vamos terminar o ano com recuperação da dignidade da Câmara Municipal. Agora queremos a cassação. Desta maneira será retirado o mandato, impedindo que ele seja eleito novamente”, enfatiza.

Ação Popular

A vereadora também enfatizou a necessidade de chamar o município como autor da ação. Ela entende que os recursos públicos supostamente desviados são de propriedade dos contribuintes. “O município deve assumir. A Câmara sofreu um desgaste imenso. Em nenhum momento a prefeitura se manifestou. Através da justiça temos boas chances de conseguir a devolução do dinheiro”, declara.